terça-feira, 15 de julho de 2014

Opinião O Homem de Constantinopla de José Rodrigues dos Santos


Autoria: José Rodrigues dos Santos
Editora: Gradiva
Nº de Páginas: 504

Sinopse:

O Império Otomano desmorona-se e a minoria arménia é perseguida. Apanhada na voragem dos acontecimentos, a família Sarkisian refugia-se em Constantinopla. Apesar da tragédia que o rodeia, o pequeno Kaloust deixa-se encantar pela grande capital imperial e é ao atravessar o Bósforo que pela primeira vez formula a pergunta que havia de o perseguir a vida inteira:
“O que é a beleza?”
Cruzou-se com a mesma interrogação no rosto níveo da tímida Nunuphar, nos traços coloridos e vigorosos das telas de Rembrandt e na arquitectura complexa do traiçoeiro mundo dos negócios, arrastando-o para uma busca que fez dele o maior coleccionador de arte do seu tempo.
Mas Kaloust foi mais longe do que isso.
Tornou-se o homem mais rico do planeta.

Inspirado em factos reais, O Homem de Constantinopla reproduz a extraordinária vida do misterioso arménio que mudou o mundo – e consagra definitivamente José Rodrigues dos Santos como autor maior das letras portuguesas e um dos grandes escritores contemporâneos.

Opinião:

Esta foi a minha obra de estreia do autor. Sempre quis ler uma obra dele e como surgiu a oportunidade de a ler para a escola aproveitei.
Acho que não foi a escolha mais acertada. Por vezes tornava-se um bocado monótono, mais concretamente as conversas sobre o petróleo, o que levava por vezes a uma leitura mais lenta. Tirando isto gostei da obra.

Esta obra presenta-nos com uma família otomana e a sua ascensão no mundo dos negócios, todo o seu caminho para chegar ao topo.
Não consegui identificar-me com a personagem principal. Não é daquelas que vai ser recordada.

Em suma, a obra ficou aquém das minhas expectativas mas espero ler outra obra do autor que goste mais.

Sem comentários:

Enviar um comentário